Moço, ondiquifica?

2 de out de 2009
Opa, galerenha que não misquece. Bom, deixa contar. Tô sumido [não tem quem diga] e é preguiça mesmo [chura?]. Mas enfim, deixa contar sobre a noite de ontem que foi daquele jeito!

O caso é que ontem teve um Fórum sobre Administração Financeira em Aracaju, começaria às 19:00hrs, então saímos daqui às 16:00hrs. Bom, p quem não sabe eu sou do interior de Sergipe. Aracaju não é a única cidade desse enorme estado. Prosseguindo... Daí que tinha combinado de ir com o pessoal da universidade, sairíamos em alguns carros e nos encontraríamos por lá. Certo, delicinha, gostosinho, combinado.

Fui no carro de J.A. com mais 3 pessoas. Tudo muito bom, fomos rindo, contando estórias, ouvindo música e coisa e tal. Daí que eu lembrei que tinha colocado minha câmera na mochila e "ólia q giniáu" vou tirar uma foto do pessoal no carro. Claro, sem avisar. Daí que o flash dispara e Daniela que estava acomodada tranquilamente no banco da frente quase tem uma parada cardíaca. Sim meu Brasil, ela achou que era uma batida [detalhe, o flash da câmera dispara 3 vezes]. Pensou "morreeeeeeemos". Ela disse que olhou p frente, p os lados e pensando [isso em 1 segundo] "ONDE TÁ ESSE CARRO QUE NÓS BATEMOS". Crente que já tava no céu.

Passado o trauma, chegamos em Araca, ótimo. "Gleice, onde que é o tal Auditório do Banese?"/"É lá na rua atrás da Orla". Opa, toca pra lá!

Quase chegando no suposto local do Fórum, telefone toca. Era o pessoal perguntando onde estávamos pq geral tinha chegado, menos nós. Dissemos q já estavamos chegando na Orla.

E o povo "PÓPARÁCOMOPÓAÊ, NÃO É PERTO DA ORLA NÃAAO".

Gente, rodamos Aracaju praticamente toda até saber que era perto do Hospital São Lucas. Bora pra lá? Bora sim. Chegando perto do Hospital, pede informação. Sobe, desce, vira, contorna e opa, alí tá escrito "Banese", deve ser lá. Cheio de carro, gente entrando, bora tb. Descemos do carro e já sentimos a empolgação do pessoal, era grito, era apito, tudo isso dentro do local do evento. Bom, seria se aquele fosse o local do evento. Na verdade alí era um parque aquático e o nome Banese era só patrocínio. FAIL.

Discretamente entramos no carro, subimos, descemos, quebramos de ladinho, mais informação e GENTE, ESSE AUDITÓRIO ERA ESCONDIDO DEMAAAAAIS. Enfim, depois de meia hora chegamos. UMA RUA DEPOIS DO HOSPITAL. CHUUUUPA.

Pronto, acabou o pesadelo. Ledo engano, Leda Nagle. Chegamos no auditório e GERAL já tinha chegado. Abrimos a porta e TODOMUNDO olhando para a gente. Cadeiras, cadê? Só lá na 1ª e 2ª fila. Saímos distribuindo charme por todo o auditório até nos aconchegarmos confortavelmente nas cadeiras. Rolou aquele constrangimento de quem tirou o ritmo da palestra.

Tá gente, depois fomos comer alguma coisa, e estrada. Mas na boa, ninguém deve tá interessado em saber a peregrinação que foi p encontrar algum lugar para eu dar uma mijada, nem a mulher vomitando no banheiro ao lado do posto que enfim eu mijei!

2 comentários:

Suzana disse...

Jesuuus, ri litros com esse post. Puta aventura, hein cara! Hahahaha!

Deu pra ver que eu achei seu BRÓRGUE, não é?
Amay de mais.

Isabelle disse...

Menino, e eu não sabia dessa ainda?! PeloamordeDeus vc já gosta de pagar micosss...e que Daniela piiirada eh essa! Já não bastam as crises de choro:D

Atòron'