Mico amigo IV- Cláudio, bora vaquinha!

30 de jul de 2009

Cláudio é de Recife. Ex-estagiário no tribunal, por esporte. Tem casa na praia e passa os fins de semana em Salvador. Fã de Chiclete com Banana e tem uma bandana do Bel emoldurada na parede do quarto! 

Um dos maiores micos que passei foi recentemente.
Estava eu no Tribunal e uma amiga ligou, perguntando se eu não queria carona. Ela trabalha numa empresa onde ela anda de taxi, totalmente free. Aí eu topei. E ela disse: Desce que estou passando.

Beleza!

Fiquei lá, esperando, falando ao telefone com uma amiga em comum da gente. E eu, na minha finess peculiar, falava: "É, Dani, tô esperando aquela rapariga daquela nega e... ops! Ela chegou!!!"

Um taxi parou na rua, eu entrei, ainda no celular falando alto e dizendo: "Pronto, Dani, ja to aqui com essa puta dessa nega! É... vamo no xop..."

...e o taxi nao saía do lugar!

Até que finalmente decidi olhar pro lado, falando: "Ô, rapariga, pq esse tax..." ...tinha uma menina olhando pra mim com uma expressão entre chocada e risonha.
Tudo o que consegui dizer foi: PUTA QUE PARIU, DANI! EU TÔ NO TAXI ERRADO!!!
E fiquei num desespero, tentando abrir a porta e a porta nao abria. E eu, aimeudeus aimeudeus!!!

Enfim, saí! E fui embora, andando, todo duro, e fiquei atrás de um poste, pra ninguem decorar minha cara!
Minutos depois, a porra da nega liga e diz: Vaquinha (porque sou carinhosamente chamado assim), passei do Tribunal. Eu to de carro. Vem andando mais pra frente!!!

Dia feliz, não!?


Mico Amigo III- Renata. Oi? Alguém? Falamansa?

28 de jul de 2009

Renata Ponce é adêvogada, personal stylist e imitadora oficial de Aracy da iogurteira Top Therm. Segura o "galopeeeeeeeeeeeeeeeee...eeeeeeee...eiraaaaaaaaa" como niguém. Mora em Brasília, mas pede que ninguém a julgue por isso! 

Oi! Meu nome é Renata Ponce, tenho 23 anos e estou aqui no blog desse meu queridíssimo pra contar o meu mico com a banda de forró "Falamansa". 

Fomos na festa junina da faculdade que eu estudava aqui em Brasília, e por sorte meu padrinho trabalha e estava organizando a festa. Eu e minha prima quase infartamos quando vimos que teria o Falamansa, no AUGE da carreira naquela época. Logo que chegamos lá ela avisou que deveríamos ficar perto do palco pra quando acabar o show corrermos pro prédio onde estaria o camarim da galera. Ok!

Ficamos lá apertadas mas bem na frente. Começou o show, fomos ao delírio, cantávamos e sabíamos TODAS, uhul, muito bom! Acabou o show e dentre britas e saltos agulhas saímos desembestadas rumo ao prédio. SÓ QUE meu padrinho não nos garantiu nada, na verdade ele nem sabia que nós iríamos tentar ir pro camarim. Quando chegamos ao prédio OBVIAMENTE fomos barradas, dai começamos a fazer muitos escandalos pedindo pra passarem o rádio pro meu padrinho.

Até que minha tia (sim, éramos eu, minha prima, meu melhor amigo, minha tia e a amiga) começou a meio que "seduzir" o cara, bem louca. O cara resolveu passar o rádio, e nos tivemos autorização. Quando fomos chegando na porta...UMA FILA... enoooooorme. Era o fã clube! Lógico que furamos a fila toda e eu sei que no final das contas estávamos abraçados cantando parabéns pra algumas meninas e morrendo de rir. Foi aí que o segurança, muito camarada, me deu um pedaço de papel minúsculo pra eu pegar autógrafo né? Só que ele disse que teria que me dar um autografo também, então eu deixei.

Abriram a porta e lá vai Renata desesperada entrando e deu de cara com o "Senhor que toca a Sanfona". Cumprimentei-o eufórica, parabenizei pelo show (lembrem-se que aí eu era "membro do fã clube") até que ele me pediu o papel pra me dar um autógrafo. Eu.. Louca... soltei um "Não, obrigada. Senão não vai caber no papel o autógrafo do Tato".
Minha prima estava por perto e me olhou estranhamente mas eu nem entendi. Peguei autografo de todo mundo (menos dele) e saí feliz da vida. Lá fora minha prima veio me perguntar pq eu tinha falado daquele jeito com o senhor da sanfona e me deixou um LIXO. Eu fiquei sentida!

Resolvi que daria um jeito nisso rapidamente.

Uma semana depois por sorte do destino teria show deles numa outra festa que iríamos. Fui pronta pra levar uma resma de chamequinho pro senhor da sanfona autografar, mas minha prima me impediu. Fomos pra frente do palco e já sabíamos todas as coreografias, brincadeiras, os 'vamos lá gente, com vocês' do show. Até que o produtor da banda, um tal de 'Cachorro' nos reconheceu (não me perguntem o porquê, eu prefiro não imaginar) e disse que era pra irmos pra portinha da entrada do camarim no final do show. Acabou, fomos pra lá, entramos. Mais uma fila. Aí me deram um papel com a foto deles própria pra autografar! 

Fiquei feliz.. ansiosa. entrei como uma louca pedindo perdão pro senhor da sanfona e todos me olhando. Ele autografou, me deu um abraço, mas nem se
lembrava de mim. Fui embora realizada.

Moral da história: ande com blocos de papel na bolsa.

Beijo.

Mico Amigo II- Dani, muito franca!

Dani tb é do Reow, excluiu seu orkut, não tem twitter e está avessa às modernidades, mas sustenta o msn, de onde escreve do seu iPhone rosa ao mesmo tempo que bebe seu Cubra Libre. Puxei assunto com a Dani a primeira vez pq achei ela ACARA do grande amor da minha infância. Ela disse que tava com preguiça, mas eu acho que foi o cuba libre que bateu, ela só nos escreveu um mico, mas vejam como tem potencial. UPDATE: Ela me contou nas interna mais um mico. Claro que vai pro blog.

O melhor amigo do meu namorado está todo preocupado pq não está conseguindo transar,  meu namorado me contou e pediu peloamordedels pra eu não comentar nada.

Mas vc sabe que eu bebo pouco, né? Daí na ultima vez que nos encontramos em Angra, eu já pra lá de Bagdá, o cara começou a me zoar dizendo que eu traia meu namorado e tal.

Logo mandei: melhor poder trair do que ser broxa!!!!!!!!!!!!!!

Meu namorado quase morreu, pq o garoto ficou sem fala, mudo total. Daí eu tentei consertar e disse que é melhor do que ser viado. Cara, foi horrível .


Isso eu andando no meio da rua literalmente, cantando ragatanga e fazendo coreografia.
Eu bebo muito, mas te juro que eu fiquei meio mal nessa, pq não podia ter falado, o cara já estava super grilado e eu vou e jogo na cara.

*****

Festa de fim de ano da empresa. Churrascão. Dez da matina e eu já tomava cerveja na jarra que era servida (j-u-r-o). Daí sempre tem aquele povo que insiste em ir pra piscina, pq vc tira a pessoa da laje mas não tira a laje da pessoa.

E eu e umas amigas fazendo análise dos bofes indo pra lá e pra cá, daqui a pouco eu falo: gente, o que é isso??????????? Esse cara não deve ter nem pentelho, se colocar meu primo de 6 anos na frente dele, meu primo tem mais volume. É praticamente um eunuco.

E as pessoas riam, riam.

E vc sabe como bêbado gosta de aparecer.

E eu lá, metendo o pau (aham), qdo vira uma menina que eu adorava e disse: Dani, ele é meu namorado

10 segundos de vou fingir que estou constrangida e mandei.

Mas olha, ele até bonitinho de rosto. E enquanto existir dedo...

Te juro que teve gente que soltou cerveja pelo nariz, até ela riu.

Nessa mesma festa eu fui encontrada desacordada no banheiro feminino, fiz carão e disse que tava dormindo, muito cansada pq tinha comido muita carne. O melhor é que as pessoas acreditam, pq eu tenho maior cara inocente.





Conecades- Primeiro dia.

27 de jul de 2009

Vamo que vamo minha gente. Continuando os posts sobre o Conecades, vou falar sobre o primeiro dia. Então, chegamos acho que umas 02:00 da tarde, não lembro direito, exaustos, com fome, com sono. Eu com meu peculiar humor de cão, sentei na minha mala e fiquei no estacionamento esperando a fila para o check-in diminuir. 

Nesse primeiro dia iria acontecer uma chopada, coisa básica, 04 horas de chope li-be-ra-do. Começaria às 16:00 e terminaria às 20:00, isso dava uma margem de mais 02 horas para se arrumar e tal pq iria acontecer também a Festa à Fantasia, na pedreira da cidade, lugar incrível.

Bom, daí vem o pessoal fazendo pressão para me convencer a ir pra tal chopada, pq sim, juro por Michael Jackson que eu tava tão cansado que imaginava que não iria valer a pena gastar dinheiro para ir numa chopada e depois mais festa. Graças ao santo que protege os alcoolatras, pq sim, deve haver algum, EU FUI.

Só foi o tempo de pegar chave de quarto, me perder, me achar, me perder novamente [quanto corredor, mel dels]... Opa, achei. DO.LADO.DO.ELEVADOR. Corre, toma banho, desce, me perco mais uma vez, me acho, me perco mais uma vez e encontro com a galerë. Gente, foram as 04 horas mais loucas do mundo até aquele momento. O chope esquentou? Não tem problema, derrama aí no chão mesmo, é Free.

Das poucas coisas que eu lembro é que fui ao banheiro e encontrei com uma menina muito da bonitinha, cheguei claro na beiçada. Gente, daqui a pouco chega uma louca me separando dela e me tasca um tapa na cara, siiiiim Brasil, sem mais nem menos a menina me tascou um tapa na cara, gritando para a outra que elas tinham combinado que não se separariam e q nenhuma ia ficar com mais ninguém. Bom, eu ainda paralisado com o tapa, virei o rosto para o outro lado, dei a face e disse: Agora aqui. Elas riram, eu ri e fui mijar pq né?! Não sou obrigado.

Cabô chopara, corre negada que a festa à fantasia é daqui a pouco. Gente, fizemos outra festa nos corredores, era um tal de "balacobaco, o gostoso é até embaixo", "tchuco, tchuco gostoso" e assim vai. Cheguei no meu quarto numa situação não muito boa. Na verdade nada boa. Abri a porta, gritei um palavrão p o corredor e saí correndo, quem me contou isso foi meu companheiro de quarto que correu atras de mim pensando que eu tava numa briga. Mas nem, era só para dançar na cama das meninas.

Chega, chega, siarrumar meu povo. Festa à fantasia. Amo. Fui de Cowboy. Com bota, espora e pinta de herói. Tá, não fui de espora, mas bota, lenço, camisa xadrez, calça apertada, fivelão de Nossa Senhora de Aparecida e chapéu, pode crer!

Gente, era Festa à Fantasia com Mc Sapão. MORRI.COM.MC.SAPÃO. O cara é foda e mesmo trêbado morto, cansado e debilitado, desci aquela pedreira no rebolation. Nossa, perfeito, depois tiveram mais algumas bandas, mas nadamaismelembro. 

Mico Amigo I- Sílvia, o pênis do cadáver e outros constrangimentos!

Bom, bora começar com as vergonhas alheias que nós ganhamos mais!

Pra abrir com chave de ouro temos aqui a Sílvia. Sílvia é dôtora e adora um funk proibidão. Mora no Reow dhji Janeirow e passa as férias em Trancoso com um michê paraibano que conheceu no baile beneficente da ala psiquiátrica do hospital que trabalha!

Bora lá:

Não sei se em todas universidades do país isso é possível mas fiz um vestibular para medicina e não passei de primeira, fui pro edital de vagas e PARAPUUUUM: passei! O problema é que entrei na faculdade 3 meses depois e perdi várias provas (inclusive a de anatomia). Quando comecei a frequentar as aulas, os professores permitiram que eu fizesse as provas perdidas e então lá fui eu fazer a prova de anatomia.


Sou fresca, admito: estava de máscara, luvas e morrendo de nojinho dos cadáveres mas sou brasileira e não desisto nunca! O anatômico naquele silêncio irritante, nem o som de uma mosca. Eu estava lá, em frente à bancada de APARELHOS GENITAIS FEMININO E MASCULINO, onde eu tinha que identificar as peças e dizer pra que serviam. O pênis estava meio cortado para que pudéssemos identificar as estruturas da parte de dentro.


OI.. eu baixinha, segurando o pênis lá, toda com nojinho. DE REPENTE, não mais que de repente surge o professor (e diretor) atrás de mim e sussurra: ta conseguindo?
Levei um susto tão grande que minha reação foi puxar a mão.. puxei. Veio o pênis junto!
Fiquei eu, branca feito cera, segurando firme o pênis do cadáver e o professor rindo.

*****

Eu estava no Medcurso e tinha uma escada de 3 andares. Fui descer pro intervalo e, sei lá o que aconteceu, tropecei e rolei de lado, igual rolo de macarrão... fui ROLANDO E GRITANDO até que, quando cheguei aos pés da escada, derrubei uns 5 alunos no chão, feito pino de boliche.

Tinha um com coca na mão.. VOOU!! e tipos.. TODO MUNDO ME OLHANDO levantar, eu toda roxa (fisicamente e de vergonha).

Só sei que passei 2 semanas sem dar as caras por lá! rs

*****

Fui com amigas ao cinema.. daí fui comprar pipoca.. gravei a fileira e a posição do banco.. só que as filhas da puta trocaram de lugar e a anta desligada sentou no lugar que DEVERIA SER o meu.. só que tinha um cara sentado.. me abraçou e tudo. E eu, #meninasanta, me soltei, pedi desculpas e paguei esporro pras meninas. rs

*****

Muito bom, não?! Enfim, mande seus micos para o opa, tô bêbado também. Só dizer nos comentários, escrever um post e me mandar por e-mail.





Conecades- A viagem

24 de jul de 2009

Gente, esse ano fui para um congresso no Espírito Santo. Isso foi no começo do ano e um pá de gente conhece todas as estórias do que aconteceu por lá. Bom, mas eu lembrei agora que nem comentei aqui.

Bom, pra começar vou separar por dias. A viagem será o primeiro post. 

Geral ia para esse congresso, expectativa a mil. Todas superadas, se não fosse um pequeno trauma, A VIAGEM. Gente, o povo decidiu que ir de ônibus seria muito mais legal de bom, inclusive eu tava lá, todo animadão. Ledo engano, Leda Nagle.

Pra começar, marcamos de nos encontrar às 04:30 da madruga na praça da igreja. Quatro e pouco tá lá eu e o pessoal esperando esse raio de ônibus chegar. Ficamos lá, esperando até às 07:30 da manhã. No frio, no sono, no tédio. Bom, quando ele chegou geral se acomodou, até que era muito bom o tal do ônibus, ar condicionado, banheiro, dvd. Assim que o diabo começou a andar, geral começou a beber e não deu muito tempo o banheiro já parecia a visão do inferno, TO-DO-VO-MI-TA-DO. Fecha o nariz e vai com fé, chacoalha, chacoalha, mas bora que bora!

Meio-dia, fome. Paramos num posto, comida não, um cu! Certo que eu comi  tudo, mas gente, aquilo era desumano. Seguimos viagem e olha que delícia, esqueci meu travesseiro, penei com dor nas costas, na bunda, parecia que tinham tirado minha bacia cirurgicamente e sem anestesia.

Paradas e mais paradas em postos de gasolina e nada desse tal de Espírito Santo chegar. A chuva durante a noite fazia parecer que estavamos num grande freezer. Mas nada, NADA foi tão aterrorizante quanto a imagem de um vaso sanitário que o assento é no chão, sim, NO CHÃO. Eu nunca tinha visto uma coisa daquelas, não sei se dá para visualizar bem a coisa, mas era no chão, para tu fazer as necessidades acumuladas de mais de um dia de estrada era de cócaras no chão. Não consegui. Não rolou.

Chegamos em Vitória. Cidade linda, orla ridícula. Não sei se é pq a orla daqui de Aracaju é um acontecimento, mas a de Vitória é uerro. Mas ainda assim não chegamos em Guarapari, que é a cidade do congresso, toca o ônibus para lá, na verdade fizemos um tour pela capital, quando descobrimos que nem precisaria, era só ter ido pela br, mas valeu a visita!

Acho que mais de 32 horas depois chegamos no hotel do SESC, coisa linda de Deus. Enorme e tal. Eis que chega a moça para recepcionar nossa delegação e no que ela entra no ônibus e começa: Olá galera dhji Sérgipean... 

[pausa]

Alguém solta o peido mais fedorento da face da terra. A pobre encheu o olho d'agua e nem terminou o que ia falar, pulou do ônibus na velocidade da luz. Bom, descemos e esperamos fazer o check-in, mas daí eu conto como foi os detalhes do primeiro dia em outro post!

Mico amigo!

23 de jul de 2009

Então, estou iniciando uma série de posts aqui sobre micos. Sim, micos, vergonhas e tal. Bom, essa série foi inspirada numa estória que ouvi essa semana. Uma amiga foi na costureira e ta la toda entretida, pega suas roupinhas e vai embora. Seria uma coisa normal se na hora da saída no lugar de dizer "tchau", "té mais", ela não tivesse dito "EU TE AMO". Sim, minha gente, a pessoa disse EU TE AMO para a costureira, assim, sem mais nem menos, como Jesus nos ensinou.

Preciso nem dizer que eu quase passo mal de tanto rir. Mas foi a tarde toda. Daí fiquei conversando com um amigo sobre micos e mais micos que já passamos e veja só, depois que o trauma passa, né que fica divertido mesmo?!

Alguns lembram do MAIOR mico do mundo que eu já passei. Para quem não lembra, clique aqui .

Pois é isso. Aguardem os posts. E pelo que conheço do meu pessoal, bons micos virão!

Leona- A assassina vingativa

15 de jul de 2009

Então, já era para ter postado esse vídeo aqui há alguns dias e sempre acabo esquecendo, mas não iria me perdoar se deixasse de mostrar para vocês essa pérola da dramaturgia brasileira.

Tá, gente, palhaçadas à parte. A primeira pergunta que fica é: ONDE TÁ A MÃE DESSAS CRIANÇAS?

Resumo: Leona é uma [sic] mulher vingativa, má, interesseira e foi desmascarada pela Aleijada Hipócrita. É tudo muito tosco, é tudo muito engraçado.

"Vossê qué mi acabá cumigo? É isso qui vosse qué, ?! Sua alêjada hipócrita" 

Bom, não satisfeita, Leona má e perversa já lançou a segunda parte dessa trama que promete mais suspense que o final de LOST. Agora ela quer fugir pra Paris pq a ALeijada Hipócrita deu com a língua nos dentes. Run Leona run. Prestem atenção na música da novela "A Usurpadora" que toca no minuto 6. De chorar!

"Geraldo, me responde, ela mi denunciô? Só me responde isso Geraldo, ela mi denunciô? Prepara o taxi que eu tô indo pra Paris A-GO-RA."

 

9 de jul de 2009

Tô com uma dor de cabeça terrível. Não, não é ressaca mal curada da festa, que por sinal foi boa. Começou promissora, parecendo que ia  render potes, mas foi murchando, murchando e terminou com eu sentado no chão, querendo uma anestesia geral. Bom, voltado ao assunto, estou com uma dor de cabeça terrível e acho que é psicológico. 

Explico. Nunca mais que eu tinha tido uma dor de cabeça , já sofri muito com dores, mas ultimamente nem. Bom, daí que dia desses passei muito mal, virose, infecção, monte de coisas e fui ao médico, ele me receitou um remédio para uma dor no maxilar, mas minha gente, o remédio foi perfeito. Parece que meu organismo acostumou e bate ponto todo dia essa dor horrível. Agora fico com dor para desacostumar do remédio. 

Sou um hipocondríaco, já falei isso por aqui, eu acho. Sou capaz de passar horas falando de remédios, adoro um comprimido e fico achando que tenho um milhão de doenças enquanto converso ou navego na internet sobre isso. Me auto-medico, me dou alta e me examino. Assisto Grey's Anatomy e fico crente que já sou um cirurgião, saio diagnosticando o povo. Mas não tenho a mínima vocação para ser médico. Nem é pelo sangue nem essas coisas, na verdade não suporto ver ninguém sofrendo com dor, sei que estaria alí para cura-lo, tentar pelo menos, mas não rola, comigo não, sou muito coração nessas horas, pode parecer que não, mas sou. Ia sair abraçando todo mundo e prometendo coisas que não se pode prometer, principalmente quando se é médico. 

Então. A dor ainda não passou, na verdade piorou um pouquinho, tá se sentindo estrela, deve ser isso, estou falando tanto dela. De qualquer forma, acho que vou comprar os malditos comprimidos.

Vacation

7 de jul de 2009

Férias. Queria procurar como se diz férias em todos os idiomas do mundo para postar aqui, mas claaaaro, tô com preguiça!

Bom, tô de férias. Ok, ok, é só na faculdade, mas who cares, um pequeno passo para a humanidade e um grande passo para mim. Sim, porque aqui na senzala fica difícil tirar férias, nem me iludo. [lere lere lererererere].

Hoje tem for all, um forrozinho. Mentira, nem é um forrozinho, é um forrozão. Podem falar o que quiserem, mas forró é vida! Sou pró-nordeste mesmo, nas minhas veias corre o sangue de Gonzagão. Por mais que eu ouça e goste de muita coisa estranha, não dá para correr das raízes. Meu iPod consegue comportar de The Gossip à Alcione, de Chico Buarque à Cavalo de Pau. Não gosto da palavra eclético, para mim isso é história de quem não tem personalidade para assumir seus gostos. Porque eu não gosto de tudo, talvez ouça de tudo, não posso controlar o carro do carinha no barzinho, eu ouço. Enfim, esse post nem era sobre música e tal, mimimis à parte.

Na boa, tô de férias, caralho!

Gooooolllll

4 de jul de 2009

Bom, sexta-feira delicinha, gostosinha. Primeiro, desci para um jogo de futebol de salão, final do campeonato do comércio da cidade. Bagaceira define. Chegando lá fico impressionado com a diversidade daquilo, o juiz é gay, o goleiro do time contra o que eu torcia é quase uma travesti, sério gente, QUASE UMA TRAVESTI. Jogo tenso, nem vou entrar em detalhes. Ganhamos. Yeah.

Maaaas, a noite não podia terminar alí, fomos pro barzinho mais movimentado da cidade, opa, tem uma mesa alí, na calçada, ótimo, melhor lugar. Ledo engano. Começa a chover e corre todo mundo com os copos na mão para dentro do bar, no fim não cabia nem de gente em pé naquilo. Bora simbora? Claro.

Parar de beber? Não né!? Bar da avenida? Fechô. Alí sim, lugar de gente, coberto, comida boa, cerveja gelada, garçon que é gente e não um imbecil __________ [insira aqui um xingamento de baixo calão de sua preferencia]. Anyway, voltamos pra casa e ainda tinha fogo para assistir um episódio de 30Rock. Tá, nem tanto fogo assim, assisti só a metade de um episódio.