Opa, lembrei!

22 de out de 2009
Então galeres, é uma historinha boba, mas que só lembrei agora que estava conversando com a Rafa Bravim no msn! Daí achei que merecia ser contada aqui. Bora?

Pois então. Dia desses, bom, na verdade tem mais de mês, anyway... Dia desses, fui a um show de Aviões do Forró e Asa de Águia... Olha, sou praieiro, sou guerreiro, tô solteiro, me permitam gostar de forró e axé!

Esse show foi num domingo. Acordei na segunda parecendo que um trator tinha passado por cima de mim, não era ressaca, não era cansaço, era dor mesmo, muscular, manja dor de primeira semana de academia? INGOAL! Dois dias depois lembro de um detalhe, agora pira na história!

O caso foi o seguinte... Eu estava levemente alterado dos sentidos, eu e a turma toda, pq eu posso sair com gente que não toma banho, mas gente que não bebe é demais pra mim... Brincadeira, sou tipo Jesus, todo mundo eu amo! Tô enrolando, mas bora lá!

Em determinado momento decidimos ir para o gargarejo, tipo a frente do palco pq neguinho queria mandar um tchau pro cantor de Asa, eu caguei potes pro cantor de Asa, mas até eu explicar meu ponto de vista naquele estado, preferi ir. Nisso estamos lá... EEEEE, ADORO ESSA MUSICAAAAA, UHUUULLL... Chamo uma amiga pra subir na minha cacunda. Olha gente, tenho que abrir um parentese aqui, cacunda é tipo nos ombros, acho esse nome mto feio e não pode ser o nome verdadeiro disso, não sei se todo mundo chama assim, mas manja aqueles otários com as namoradas na cacunda em festa? Apois, era eu, e nem minha namorada ela era. Alcool define.

Certo, feito isso estamos lá, no maior EEEeeeEeeLlleEeEEEooOOooooOoooooOO... Certo, acabou a música, coloco ela no chão e bora comprar bebida? Bora!

Mas a cereja do bolo ficou para uma revelação que obtive somente dia desses. A menina em questão que estava na minha cacunda veio me confessar que eu pulava, pulava, pulava e ela estava com um tomara-que-caia, algo assim por baixo do abadá, que era todo recortadinho, so cobria a frente. Bom, nisso, cada vez que eu pulava aquele tomara-que-caia ia descendo um pouco. Eu pulava, ela se equilibrava, segurava os peitos, me segurava e vestia a roupa. Eu achando q ela tava curtindo pacas... Sim, achei, pq ela gritava feito louca, mas era tipos pq TAVA FICANDO NUA!

Até hoje eu não sei onde busquei equilíbrio para fazer isso, muito menos ela que foi guerreira, bora combinar. Mas ficadica, jamais repitam isso em casa!

4 comentários:

Rafaah disse...

ahsuahsuahsuahsuahsuhas
adorooooooooo

como diria vc: alcool define!

*o treco deve ser "invisiblebra" acho q é assim q e screve, um treco de silicone q gruda no peitchóns

Leonardo Fernandes Ayres Belens disse...

ela tinhaq ir sem tomaraq caia igual as meninas daki de salvador. ousadia na veia. só de abadá, e ponto finale.

Joana Aquino disse...

Realmente é uma coisa pra nunca mais ser repetida!!!Porém, se ela foi de Tomaraquecaia era pra cair msm!!!!

.:Cláudio Fazio:. disse...

Gente, mas não seria caRcunda? :S

HAHAHAHAH
Mas a história é ótima!
Essa não tava no show do Jammil, mas é brasileira, é guerreira! hahahahaha