7 de out de 2008
Assim, eleições despertam o que há de pior em mim. Porque querer que uma pessoa morra lenta e dolorosamente não é necessariamente uma coisa normal. Mas também eu sei que passa logo.
Sabe, ainda não superei o resultado, mágoa de caboclo mesmo. Tudo piora quando eu vejo gente falando mentira, traindo, justificando coisas injustificáveis.
Ainda não consegui alcançar o raciocínio de quem tenta defender ou bate no peito dizendo que votou no *cofcof* Jegue *cofcof*. Hoje tá tudo mais tranquilo, ainda bem. Sou bairrista mesmo, defendo minha posição, não saio de casa para votar branco, muito menos ninguém faz minha cabeça. Sou capaz muito bem de decidir o que é certo ou errado. E sim, estou dizendo que minha candidata era a "pessoa certa" para ficar na prefeitura. E sim, tô dizendo que o candidato eleito era a pior alternativa.
Não vou me conformar. Não ainda! Conformar-se pra mim tem o peso da desistência. E enquanto eu morar nessa bosta de cidade eu não vou desistir dela. Não é somente uma questão de escolha. É uma questão de princípios, como ja disse de certo ou errado. Claramente do certo contra o errado.
Democracia é uma piada.

0 comentários: