Alone

2 de ago de 2008
Ontem vi uma mulher chorando, ela estava sozinha na praça! Sério, so-zi-nha... A praça estava completamente deserta, claro se não fosse pela presença dessa mulher!

Bom, mas ela estava chorando, era um choro triste! Sim, um choro triste... Pq há choros desesperados, alegres, abafados... Mas o dela era triste! Não posso ver mulher chorando, me dá um nó na garganta... Ela pode nem prestar, mas no choro ela se mostra mulher... E isso me desarma!

Ela sentava na ponta do banco, com o cotovelo no encosto para as costas e uma bolsa no colo... Tentei olhar o máximo aquela mulher com o canto do olho, tentei estudar todos os seus movimentos para que pudesse aborda-la com alguma palavra!

Porém ipnotizado pelo choro dela, não a abordei, não encontrei nenhuma brecha...

Não sei porque ela estava chorando, não sei se ela precisava de ajuda! Talvez ela quisesse ficar só, talvez ela precisasse de uma palavra de consolo... Não sei, nunca vou saber! Ela poderia estar chorando porque acabara de ler num exame que supostamente estaria guardado na bolsa que ela carregava no colo, uma doença... Dela, de um ente querido, talvez. Ou porque brigou com o marido/namorado. Talvez, talvez, talvez...

Nunca vou saber o porque aquela mulher estava chorando, e me arrependo em não ter parado, perguntado. Eu poderia fazer a diferença para ela, assim como ela poderia estar sozinha alí pq queria estar só... Ela poderia ter escolhido aquela praça, aquele banco, aquela hora pq saberia que ali encontraria o sossego que buscava para chorar sozinha, sem que ninguém, muito menos um desconhecido a enchesse de perguntas que ela não queria responder!

Essa mulher, de choro triste, sozinha, no frio. Essa mulher tem uma história, um drama... E eu não sei se poderia te-la ajudado!

1 comentários:

flávio disse...

Que escritor!!!!!!!!!!

rsrsr!!!!

Já vi que o livro já está perto de sair!!!rsrsr